Escrever um livro

10 dicas para escrever um bom livro infantil

Sempre tiveste o sonho de escrever um livro infantil e não sabes por onde começar? O mercado infantil é muito especial e possui as suas próprias características. Afinal, a maneira como os mais pequenos percepcionam a realidade é muito diferente da nossa. Neste artigo, vamos dar-te 10 dicas para escreveres um livro infantil cativante e único, para entreter os mais novos e chegar ao coração dos mais velhos.

Verifica todos os pontos que cobrimos neste artigo e encontra mais rápido o que precisas:

  1. Percebe qual é o teu público: A idade das crianças importa.
  2. Escreve uma história de ritmo rápido e cativante
  3. Crie personagens únicos
  4. Transmita uma mensagem com a história do teu livro
  5. Escolhe um título único e chamativo
  6. Escolhe um ilustrador de confiança para dar vida à tua história e deixar a tua marca visual
  7. Se inspire nos clássicos da literatura infantil – ter boas referências é essencial
  8. Não subestime o público infantil – uma boa história sempre será uma boa história
  9. Revise a tua história e experimenta junto ao público
  10. Publica o teu livro

1. Percebe qual é o teu público: A idade das crianças importa.

Queres escrever livros infantis para crianças de que idades?

Ainda que sejam todas crianças, a sua faixa etária vai influenciar a sua compreensão do texto e da gramática, a atenção que conseguem por numa obra, a importância que dão às imagens e, ainda, a sua interpretação do próprio enredo. Definires a tua faixa etária é o primeiro passo que deves tomar antes de escreveres o teu livro. Se estiveres muito perdido, aconselhamos a que leias livros nas diferentes faixas etárias para entenderes melhor onde se diferenciam e possas tomar uma decisão.

Normalmente as crianças até aos 3 anos ainda não sabem ler e estão a desenvolver a sua capacidade de concentração, é importante que construas uma história simples e com bastantes ilustrações. Os especialistas aconselham a que estes livros não tenham mais de 300 palavras.

Crianças dos 5 a 7 anos, por sua vez, acabaram de entrar na escola primária e estão a começar a aprender a ler, o reconhecimento de letras e novas palavras é importantíssimo, nestes casos.

A partir destas idades, podes apostar por enredos cada vez mais complexos, sem a necessidade de tantas imagens.

Quase todas as livrarias tem os seus livros divididos por idades, como é o caso da Fnac, deixamos-te aqui um exemplo desses grupos:

2. Escreve uma história de ritmo rápido e cativante

Os livros de crianças têm um número substancialmente menor de palavras e, por isso, o ritmo do seu enredo tem de ser muito mais rápido. Gastar muito tempo com descrições ou ficar preso no mesmo momento da história pode aborrecer a criança. Sugerimos que comeces logo a história de uma maneira interessante. Nos livros infantis, os personagens não precisam de muito background e, por isso, podes, desde o inicio, dar a conhecê-los e apresentar a situação em que se encontram.

3. Crie personagens únicos

Quando escreves um livro infantil, a criação das personagens é um momento bastante importante. Tenta criar personagens que possam cativar os mais novos. É bom ter em mente que poder encontrar algum fator de semelhança com a personagem é muito importante, mas também não queres criar uma personagem que não tenha nada de especial e seja como qualquer outra.

Cria uma personagem com um caráter forte e que possua alguma característica marcante, seja ela física ou psicológica. A tua personagem tem uma cor de cabelo diferente das habituais? É um animal pouco comum? Tem algum hábito que repete muito (ex. rir, soluçar, etc)? Isto permite que a criança crie uma conexão mais especial com o personagem e evita que caia no seu esquecimento. Muitas vezes, quando relembramos pessoas ou quando queremos falar delas a alguém, relembramos as suas características mais especiais e únicas. E isso acontece também com os personagens de livros.

Outra coisa a ter em atenção é que as crianças adoram quando outras crianças são as protagonistas das histórias, afinal, ter um protagonista da sua idade aproxima-os da realidade do livro.

Happy Peter Pan GIF by Disney - Find & Share on GIPHY

4. Transmita uma mensagem com a história do teu livro

Qual é o propósito da tua história? Os livros infantis são uma ótima maneira de ensinar algo às crianças de uma maneira lúdica e divertida. Pensa num tema que queiras abordar ou numa lição que queiras dar aos teus leitores. Queres ensinar-lhes a serem corajosos? Abordar o bullying? Há um mundo de possibilidades. Escolhe uma mensagem e debate como a podes transmitir de uma maneira leve e que chegue aos mais pequenos.

Isto não quer necessariamente dizer que lhes tens que mostrar o que está certo ou errado (principalmente nas faixas etárias maiores), podes apenas dar-lhes o espaço para eles mesmos criarem as suas opiniões. Acreditamos que este fator também fará com que os pais se sintam mais motivados para comprar o teu livro, já que as crianças podem retirar algo importante do mesmo.

5. Escolhe um título único e chamativo

O que é que é tão importante quanto a ilustração da capa? Exatamente, o título do teu livro! A criança não tem conhecimento prévio de autores relevantes ou livros que a podem vir a entreter e, por isso, é extremamente importante que o teu título chame à atenção.

Tenta por optar por um título divertido e engraçado. Muitos autores escolhem usar rimas e aliterações para que o seu título fique na memória. O mesmo acontece com optar por um título pequeno e de fácil leitura. Pensa no conteúdo do teu livro e tenta perceber de que maneira consegues criar um título chamativo e adequado à tua história. Há uma diferença entre “João vai à casa vermelha” e “As grandes aventuras na casa vermelha”. O título do teu livro deve levar as crianças a acreditar que vão ser entretidas pelo teu livro e passar um bom momento com ele. Que criança escolheria um título aborrecido?

6. Escolhe um ilustrador de confiança para dar vida à tua história e deixar a tua marca visual

As imagens também falam. A parte visual é importante em todos os livros e nunca deve ser descuidada, mas isso é ainda mais importante quando estamos a falar de livros infantis. As crianças são seres muito visuais e ter ilustrações engraçadas e adaptadas à sua idade é um fator primordial para manter a sua atenção na tua obra.

A capa do teu livro também será a primeira impressão do teu livro no público geral, ao investir em um bom ilustrador poderá dar uma pequena amostra do enredo e dos personagens aos pequenos, sendo esse primeiro contacto através da capa do teu livro crucial para o conhecimento por parte dos leitores e futura venda do mesmo.

Por isso, procura um ilustrador que acredites que pode refletir a identidade do teu livro. Para isso, podes pedir recomendações aos teus amigos (nós somos muito adeptos de apoiar pequenos artistas!!), procurá-los em plataformas de freelance ou até mesmo encontrá-los nas redes sociais.

Na Bookmundo, temos templates que te podem ajudar na criação do layout do teu livro, para que todo o processo seja mais fácil e mais económico.

7. Se inspire nos clássicos da literatura infantil – ter boas referências é essencial

Ler é muito importante, antes de começar a escrever ou quando estiveres bloqueado é necessário inspiração. Para isso é muito importante ter uma bagagem cultural e literária que possa te amparar em relação ao género onde deseja criar.

Para isso é preciso ler tudo e mais um pouco, desde os clássicos até os mais modernos. Consideramos que é importante que conheças obviamente os livros clássicos infantis como por exemplo: O principezinho, Cinderela, Peter Pan, Alice no País das Maravilhas, mas também os livros de histórias infantis mais recentes como: Pequeno Livro Das Coisas, O Cão que Comia a Chuva, Até as Princesas Dão Puns e etc.

Uma outra dica que podemos dar é ter a versão física destes clássicos, para que possa também perceber qual o tamanho apropriado de livro para o teu público, o tamanho da fonte, o tipo de ilustração que os livros utilizam, o material do livro, qual o papel utilizado, entre outros aspetos que possam ser relevantes para quando começares a fazer o teu próprio livro já teres noção do que o teu público possa estar a espera.

Reforçando a mensagem: a bagagem literária e visual de um autor é muito importante e auxilia muito o processo de criação!

Caso precise de mais referências à nível de estética visual, recomendamos também que dê uma olhadela no Pinterest.

8. Não subestime o público infantil – uma boa história sempre será uma boa história

As crianças por mais inocentes que sejam são tão inteligentes e sensíveis – às vezes até mais – do que os adultos. Por isso, é importante treinar o olhar infantil para que possa enxergar de maneira similar como a sua história pode ser percebida pelos mais pequeninos. 

De acordo com Ilan Brenman, grande escritor de histórias infantis e autor do livro Até as princesas soltam pum, é necessário “Prestar atenção em detalhes que podem fazer você soar arrogante” para este público. 

É importante perceber que esse público é muito aguçado e esperto no que se trata de uma boa história e logo perderá a atenção caso a mesma não seja envolvente o suficiente, falte humor ou personagens divertidos. Por isso a importância da bagagem literária do autor e de conhecer bem o público e o género para qual se escreve.

9. Revise a tua história e experimenta junto ao público

Após todo o trabalho de busca de inspiração, criação de personagens e de escrita, é a hora do show. 

Com isso queremos dizer que se tens uma peça substancial o suficiente então tens o que é necessário para uma ronda de teste. Assustador, sabemos. Mas mais importante que isso, revisar e testar a tua história com o público é crucial para verificar que a mesma funciona e cumpre o seu papel, é bem recebida pelo seu público alvo e se necessita de melhorias ou não. 

Como abordamos no ponto anterior, estás lidando com um público sagaz, se a história não funciona, simplesmente não funciona e é necessário ajustar! 

Por isso, utilize bem o tempo, reúna alguns primos, sobrinhos, filhos de amigos, irmãos e leia a sua história, ou ofereça uma cópia inicial da sua obra para que eles leiam e lhe digam o que acharam. Enfim, faça acontecer e verifique se o resultado desta experiência era aquilo que pretendia. O feedback do seu público é o mais valioso que um autor possa ter em mãos para melhorar a sua obra.

10. Publica o teu livro

Já tens uma história divertida e inspiradora, uma capa cativante e não sabes como publicar? Está na hora de conhecer sobre a auto-publicação!

A auto-publicação consiste em tu mesmo publicar o teu livro de maneira independente, isso mesmo, sem precisar de ser aceite por uma editora ou ter de pagar para ser publicado. Atualmente o processo é possível e de fácil acesso para qualquer autor e escritor que deseje publicar o seu livro de maneira independente e sem amarras burocráticas. Na plataforma da Bookmundo podes publicar de graça e disponibilizar o teu livro em formato físico e digital (ebook) nos maiores canais de distribuição, como por exemplo: Fnac, Amazon, Apple Books, etc… Tu escolhes!

Se esta opção te interessa descobre mais sobre o processo e tira as tuas dúvidas aqui.

Já está!

Acreditamos que agora estás pronto para ir escrever o teu fantástico livro infantil ou verificar se aquele que já escreveste reúne as características que abordamos.

Spongebob Squarepants Ok GIF - Find & Share on GIPHY

Na Bookmundo permitimos que publiques a tua obra infantil sem custos! Isso mesmo, se queres pegar nessa história que inventaste para os teus filhos e transformá-la num livro, este é o momento e o lugar indicado para ti. Temos tudo explicadinho no nosso website e uma data de artigos de blog que te podem ajudar durante todo o processo.